terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Lúcia-Lima - Ana Beatriz Perna


NOME VULGAR: Lúcia-Lima, Bela-Luísa, Doce-lima, Limonete.

NOME CIENTÍFICO: Lippia citriodora

DESCRIÇÃO: Arbusto perene, de folha caduca, perfumado, de 2 a 3 m de altura, verde, com cheiro suave semelhante ao da lima, erva-cidreira e erva príncipe.
As folhas têm pecíolo curto, são compridas e pontiagudas de toque áspero; as suas minúsculas flores são brancas dispostas em cacho, raiadas de lilás fazendo lembrar pequenas luzinhas, daí o nome Lúcia, derivado do latim luce que significa luz. Os ramos seguem a lei da leveza como se procurassem o sol em todas as direcções. O tronco é duro e lenhoso, com aparência rude e retorcida.

ORIGEM: Originária da América do Sul (Peru, Chile), terá sido introduzida na Europa pelos espanhóis, no século XVII, para ser usado na indústria de perfumes.

FLORAÇÃO: Maio a Outubro.


CULTIVO: Em Maio deverão de ser retiradas ramificações para fazer estacas com cerca de 8 cm cada, que serão plantadas numa mistura de turfa e areia em partes iguais, em Julho as estacas enraizadas serão transplantadas e deverão de ser plantadas junto a um muro virado a Sul.
A Lúcia Lima não tolera temperaturas baixas de Inverno, nem solos muito pesados. Gosta de ser cultivada em solo bem drenado. Em locais onde a temperatura desce aos 0º, deve ser cultivada em vasos para ser transferida para local ensolarado durante o Verão e para local protegido durante o Inverno.
Também podem ser semeadas, embora seja um processo mais difícil e moroso. As sementes germinam após quase 20 dias. Quando as plantas estão desenvolvidas deverão ser transplantada para pequenos vasos, usando terra de jardim e areia grossa. Deverão crescer num vaso durante dois anos antes de ser plantadas.
Gostam de boa drenagem, sol e pouco vento. No final do Verão deve-se podar levemente a planta, para eliminar rebentos e ramos mortos.
Deverá de ser regada abundantemente de Maio a Outubro, para que o solo nunca seque.

Recolha e armazenamento: Colhem-se as folhas e flores durante o Verão, quando estão em plena floração, e deixam-se secar num local fresco e seco à sombra.
Armazenam-se as folhas secas num frasco de vidro.
A lúcia-lima é uma planta que conserva o aroma intenso depois de seca durante mais de 2 anos, se for armazenada correctamente.

Folhas secas de Lúcia lima prontas para o cházinho
Na cozinha: No nosso país, as folhas frescas ou secas da lúcia-lima são geralmente usadas para preparar infusões ou licores de ervas.
As infusões apresentam cor amarela-esverdeada, de aroma intenso a citrinos como a lima, limão ou toranja. O seu sabor é levemente doce, cítrico, ligeiramente acídulo na língua.

Propriedades: A lúcia-lima é rica num óleo essencial composto por mais de cem substâncias, entre as quais o citral, o limoneno e cariofileno. Este óleo confere à planta propriedades digestivas, antiespasmódicas e carminativas (favorece a expulsão de gases dos intestinos).

Indicações Terapêuticas: As suas folhas, para além de utilizadas na confecção de alimentos e para aromatizar bebidas, são também usadas na preparação de infusões com propriedades aromáticas, digestivas e anti-espasmódicas.
Esta planta pode ser utilizada para tratamentos de alterações nervosas como a ansiedade, sendo um calmante suave, casos de insónias, enxaqueca, palpitações, náuseas, indigestões e úlceras. Rica em óleos essenciais, relaxa o sistema nervoso e combate enxaquecas, agitação e insónia, falta de apetite, tem uma acção anti-espasmódica sobre o aparelho digestivo, aliviando cólicas gastro-intestinais e também menstruais, contribuindo ainda para aliviar a sensação de vómito. Hipotensora, ajuda a baixar a tensão arterial.
É também uma planta utilizada como repelente de insectos, mantém afastadas as pragas das hortícolas.
O seu óleo diluído em água, e borrifado nos locais invadidos por mosquitos, repele os mesmos, a própria planta colocada dentro das gavetas e roupeiros dá um agradável aroma às roupas e mantém afastadas as traças.
Preparação/UTILIZAÇãO: Infusão (chá de ervas) de folhas de lúcia-lima (cerca de 30 gramas por cada litro de água.
Contra-indicações: Não deve ser utilizada durante longos períodos de tempo pois pode causar perturbações gástricas.

Doenças DA PLANTA: Se as pontas das folhas e os rebentos secarem significa que a planta está a sofrer com a seca.
Pelo contrário é importante que o solo esteja bem drenado pois a água estagnada causa amarelecimento das folhas.

Ana Beatriz Perna, nº2, 5ºC

13 comentários:

  1. Muito bem Ana Beatriz, adorei o teu trabalho está muito bom.
    PARABÉNS!!!

    ResponderEliminar
  2. Adorei, foi muito útil para mim, porque tenho uma Lucia-Lima e não sabia se devia ou não podar e quando o devia fazer. Obrigada.

    ResponderEliminar
  3. Ótimo trabalho de pesquisa!... É que hoje cortei um pequeno ramo de lúcia lima e resolvi pesquisar como devo fazê-la enraizar e crescer; embora fora da época recomendada no seu trabalho, vou tentar que se mantenha vivo até à próxima primavera. Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Muito bacana teu trabalho!.. Tambem me ajudou muito. Muito obrigada . grande beijo e tudo de bom pra vcs todos.
    Pati Nunes

    ResponderEliminar
  5. muito elucidativo. Parabens !

    ResponderEliminar
  6. Muito bom Ana! Obrigado forneceste-me a informação que precisava.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada. Este trabalho é muito útil para mim.

    ResponderEliminar
  8. sempre gostei do aroma,só não sabia que era tão bom para a saúde ,obrigada pelas informações

    ResponderEliminar
  9. Muito bem e obrigado pela informação.

    ResponderEliminar
  10. Muito bem e obrigado muitos parabéns....

    ResponderEliminar
  11. Muito obrigado, Ana. Tenho uma planta que comprei esta semana na escola onde trabalho e precisava saber como cuidar dela. O teu trabalho foi muito útil e ainda aprendi mais coisas que não estava procurando. Parabéns! §

    ResponderEliminar
  12. Muito obrigada, Ana. Tirou a dúvida que eu tinha. Beijinhos.

    ResponderEliminar